Heranças e "mesadas": um peso?

Em 09/08/2017 , Comments

Relembrando

Escrevi, em artigo anterior (leia “Você recebe muito”, http://www.nelsontheston.com.br/voce-recebe-muito), sobre a questão do desequilíbrio na área financeira, quando, em uma dinâmica entre pares, um doa muito e nunca recebe, enquanto o outro recebe muito e nada retribui.

Estou relembrando esse assunto, porque quero falar sobre o equilíbrio do dar e do receber, se há uma herança ou se recebemos alguma ajuda financeira, como uma “mesada”, por exemplo.

 

“A mesada”

Bem, a “mesada” é uma forma de colaborar com a criança para que aprenda a lidar com o dinheiro. É um ato natural, visto que os pais, nessa fase do crescimento de seu(s) filho(s), estão doando bastante e este(s) não tem como retribuir, exatamente por ser(em) criança(s).

Mas, mesmo estando tudo certo, os filhos estão em débito, porque, neste campo dos relacionamentos humanos, dos grupos sociais, quando alguém dá algo, o outro fica devendo e precisa retribuir, para que haja o equilíbrio.

 

O equilíbrio

Aqui, lembremos que esse equilíbrio funciona em todo o planeta e foi descoberto por Bert Hellinger, há algum tempo. Desta descoberta, ele trouxe à luz, dentro das Constelações Familiares, o conhecimento da Lei do Dar e do Receber. Ou seja, se há uma má aplicação dessa lei, problemas seríssimos podem acontecer em várias áreas da vida.

A Lei do Dar e do Receber não se aplica somente à parte financeira, mas, também, na troca de ações, como a gentileza entre as pessoas, por exemplo.  E, caso não houver trocas, a situação fica desequilibrada e pesará bastante aos envolvidos ao longo do caminho de vida.

 

A herança

Em relação à herança, podemos dizer que ela é um grande esforço de uma ou de muitas pessoas (dos pais ou dos avós, como exemplo) em benefício de outro, (ou outros), que não fez nada para recebê-la, apenas tem o direito a ela.

Em palavras mais diretas, não trabalhou, não lutou, enfim, não fez nada em relação à herança. Então, é um dar e receber diferente: há uma doação de tudo para alguém que não fez nada.

  

Como compensar?

Minha sugestão, a princípio, é que se faça uma constelação para ajudar a equilibrar a situação. Mas a pessoa pode honrar, da melhor maneira possível, o doador da herança ou pode fazer uma doação para equilibrar.

 

É meu!

Nessa situação de heranças, temos um perigoso problema: a pessoa que a recebeu é apenas uma tomadora, querendo tudo para si e ainda reclamando que deveria ter ganho muito mais.

Há grande possibilidade de que a herança não fique em suas mãos. Mas, caso fique, o peso da herança “tomada” será muito grande e passará às gerações futuras, podendo estas a perderem.

É algo natural, pois é consequência do não cumprimento da Lei do Dar e do Receber, que tenta compensar o equilíbrio perdido.

 

Pensando um pouco

A mesada, se analisarmos melhor, funciona assim, também. Isto é, vai bem até certa idade e depois torna-se um peso.

As perguntas são: a pessoa que recebe, quer seja a herança, a mesada ou algo parecido, está retribuindo de alguma forma? Ela está grata e fazendo ações que compensem o recebimento?

As ações podem ser simples como fazer as tarefas domésticas, algo que demonstre à pessoa recebedora do presente a gratidão pela doação, retribuindo do seu jeito. E, às vezes, com tudo o que recebemos, não sabemos retribuir e nem ao menos reconhecer o muito que a pessoa doadora fez.

Ou, em outra situação, estamos em uma posição difícil e extremamente necessitados de receber um valor, uma herança ou uma mesada. Aqui, ficará bastante pesado se não soubermos ou não estivermos aptos a devolver.

  

Refletindo

Então, comece, caso você necessite realmente de algo, em trabalhar para ser uma pessoa com capacidade para retribuir. Imagine o quanto é degradante e frustrante pedir e receber muito, se esforçar ao máximo e não conseguir retribuir.

Confie na prosperidade e faça algo por você. Interrompa esse fluxo tão pesado de só tomar sem devolver. Equilibre a Lei do Dar e do Receber.