Cuidado ao ajudar alguém!

Em 17/07/2017 , Comments

Eu pedi a sua ajuda?

Você já prestou atenção na reação de alguém que não solicitou nossa ajuda, mas, mesmo assim, a oferecemos? Percebeu que não recebemos em troca algo bom? E quando nós impomos a ajuda àqueles que não precisam? 

 

Saber receber e saber dar a ajuda

Pois bem, nesses questionamentos, nessas ações, há um desequilíbrio na relação entre quem dá a ajuda e aquele que a recebe. Às vezes, queremos ajudar alguém que não está pronto para receber, ou, até mesmo, a nossa forma de ajudar acaba desrespeitando-a. Isto é, queremos algo para ela que achamos que é bom, como se quiséssemos apressar suas resoluções, seu crescimento, seu entendimento e invadindo seu espaço de decisão. Devemos sempre ter em mente que cada um de nós é único, cada um tem seu tempo de percepção. Coloque-se no lugar da pessoa a ser ajudada e perceba o quanto pode ser problemático a imposição da ajuda, quando não estamos cientes de que a precisamos. Podemos nos sentir humilhados ou expostos, muitas vezes julgando que a pessoa que quer nos ajudar está com pena de nós. É preciso oferecer ajuda de modo que a pessoa se sinta digna, que acolha essa ajuda com a mente e o coração abertos.

 

Mas, cuidado!

Outra vez, coloque-se no lugar dessa pessoa e observe se você realmente gostaria dessa ajuda. Observe que tipo de postura tem a pessoa que você quer ajudar e veja se seria essa a que você teria. Em outras palavras, cuide a forma de como você ajuda, para não desequilibrar o relacionamento e evite o ataque àqueles que você ajudou/ajuda muito, isto é, não os rotule de ingratos. Os ingratos precisam atacar os que os ajudam, a fim de encontrar um lugar mais forte dentro de si, já que estão se sentindo diminuídos pelo excesso de ajuda. 

Se você ajuda muito aos outros, coloque-se em um posição de humildade e respeito. Esta é a lei do dar e do receber das Constelações Familiares. Umas das grandes leis que regem o comportamento de grupos sociais e dos relacionamentos de todos nós. Busque o equilíbrio entre o dar e o receber. Quando der algo, esteja receptivo à troca, ao receber do outro. Pois ele o fará do seu jeito, como puder. Faça com que se sinta digno ao devolver. Valorize-o, pois ele está criando e/ou repondo o equilíbrio na relação.

 

Reflexão para ajudar

Então, pense como é o seu processo do dar e do receber: você doa muito e recebe pouco, ou você recebe muito e doa pouco? As Constelações Familiares têm métodos que atuam profundamente em nossa mente para solucionar esse dilema. Equilibre-se e esteja feliz!